O Google Analytics como conhecemos hoje vai deixar de existir. Calma, você ainda vai poder contar com os relatórios valiosos que a ferramenta oferece gratuitamente. Porém, o Google Analytics 4, última versão da plataforma, traz novidades que vão enriquecer suas análises de dados, mas também exigir adaptações da sua empresa.

Desde 2019, quando o Google lançou uma versão beta do novo Google Analytics, o mercado vem se movimentando para entender as novidades. Agora, sabemos que a mudança da ferramenta é definitiva: em 2023, o Universal Analytics vai deixar de existir para dar espaço ao Google Analytics 4 ou apenas GA4.

Mas você sabe como isso impacta o seu negócio? Se você quiser continuar extraindo dados e insights do Google Analytics, acompanhe agora este artigo para saber como se adaptar!

O que é o Google Analytics 4?

Google Analytics 4 é a versão mais recente da ferramenta de análise de dados do Google. A nova plataforma foca na privacidade de dados dos usuários, é embasada em inteligência artificial e permite integrações avançadas com as plataformas de publicidade do Google.

O Google Analytics 4, ainda com o nome de App+Web, foi lançado em versão beta ainda em 2019. A principal novidade daquele lançamento era a integração entre as análises da web e do aplicativo mobile. Desde então, o mercado aqueceu as discussões sobre as mudanças da ferramenta e como se adaptar a elas para otimizar a inteligência de marketing.

Ao longo dos últimos anos, o Google Analytics fez diversas melhorias e experimentações até chegar à última versão do GA4. Finalmente, em 2022, o Google anunciou que a mudança será definitiva: a partir de 1º de julho de 2023, todas as contas gratuitas vão passar a usar o Google Analytics 4 no lugar do Universal Analytics. Para as contas premium, o prazo é 1º de outubro de 2023.

Até essa data, quem quiser vai poder ainda utilizar o Universal Analytics, que é a versão anterior do Google, lançada em 2012. Por mais de 10 anos, os profissionais de marketing e dados se acostumaram com a interface do UA. Porém, agora chegou a hora de migrar.

Google Analytics 4 vs. Universal Analytics: quais as principais mudanças?

Embora ainda não tenha total adesão do mercado, o Google Analytics 4 promete trazer melhorias para os relatórios e permitir análises mais inteligentes e aprofundadas.

O principal objetivo do GA4 é criar uma solução de análise de dados centrada no usuário, de acordo com as recomendações de proteção de dados pessoais, por meio de uma plataforma cross-channel (web e app) preparada para crescer com as empresas no futuro.

Estas são as principais características do Google Analytics 4 e suas diferenças em relação ao Universal Analytics:

Jornada completa

Enquanto o Universal Analytics considerava cada canal como uma propriedade, o Google Analytics 4 consolida os dados da web e de aplicativos em uma só propriedade. Dessa forma, é possível avaliar os resultados desses canais juntos e ter uma visão completa da jornada do cliente.

Você pode descobrir, por exemplo, quantos usuários consegue atrair, independentemente da plataforma que eles usam, ou quantos iniciaram a jornada de compra no app e terminaram no site.

Privacidade dos usuários

O Google Analytics 4 foi desenvolvido pensando em um futuro com ou sem cookies de terceiros, por meio da modelagem da dados. Já o Universal Analytics é baseado nesse tipo de cookies e poderia oferecer relatórios com gaps no futuro.

Mesmo que os dados mudem, de acordo com as novas configurações dos navegadores, você vai conseguir extrair insights valiosos sobre os consumidores.

Machine learning

Diferentemente do Universal Analytics, o Google Analytics 4 foi desenvolvido com base em aprendizado de máquina. Com essa tecnologia, a ferramenta pode revelar insights automaticamente a partir dos seus dados, a fim de impulsionar suas análises e inteligência de marketing.

Edição de eventos

O Google Analytics 4 facilita a criação e edição de eventos, sem necessidade de mexer em códigos, como acontece no UA. Além disso, alguns eventos comuns da web — como rolagens, downloads, visualizações de vídeo e muito mais — já estão pré-definidos, o que facilita a sua configuração.

Importação de dados

É possível importar dados externos para a sua propriedade do Google Analytics 4, mesmo que eles ocorram em outros canais que não sejam o site ou o aplicativo da marca. Dessa forma, é possível enriquecer as análises.

Otimização dos relatórios

O Google Analytics 4 também traz relatórios mais intuitivos, principalmente para entender melhor os funis de vendas do e-commerce. Você pode arrastar e soltar dimensões, métricas e segmentos para explorar os relatórios.

Como fazer a migração para o Google Analytics 4?

O Google criou um assistente de configuração para facilitar a migração de versão. Para fazer isso, você precisa antes instalar o gerenciador de tags do Google (Google Tag Manager). Aqui você pode ver as orientações do Google sobre o GTM.

Quando tiver o gerenciador de tags já instalado, siga os passos:

  1. Acesse analytics.google.com e faça login na sua conta existente;
  2. Em Administrador, visualize a Propriedade e clique em “Assistente de configuração do GA4″;
  3. No Assistente de Configuração, visualize o box “Quero criar uma nova propriedade do Google Analytics 4” e clique em “Primeiros passos”;
  4. Depois de configurar a propriedade seguindo os passos do assistente, vá até ela, clique nas configurações para a web e copie a “ID da Métrica”;
  5. Abra o gerenciador de tags, clique em “Criar nova tag” e selecione “Google Analytics: GA4 Configuration” entre os tipos de tag;
  6. Na configuração da tag, insira o ID da Métrica que você copiou e defina que a tag seja usada em todas as páginas do site;
  7. Salve e publique a tag.

O Google Analytics 4 vai começar a coletar dados do seu site a partir da sua implementação. O Universal Analytics vai continuar coletando dados, junto com o GA4, até a data da sua desativação e vai disponibilizar seu histórico até 6 meses depois dessa data.

Para concluir a migração, é importante também vincular sua conta do Google Ads, se você costuma anunciar no Google, além de migrar as configurações de eventos personalizados, metas e conversões para o GA4.

Aqui você pode ver mais orientações do Google. No canal do Google Analytics no YouTube, você também pode conferir essa playlist com várias dicas de implementação do GA4.

Desafios da migração para o GA4

A migração para o Google Analytics 4 pode não ser tão complicada tecnicamente, mas tende a trazer alguns desafios e dificuldades para as empresas. Vamos entender melhor agora quais pontos você deve incluir no seu planejamento:

  • Todo o mercado vai precisar se adaptar ao Google Analytics 4. A sua equipe, que já estava acostumada a trabalhar com o Universal Analytics, vai precisar aprender a ler as métricas e relatórios da nova versão. Então, considere o tempo e os recursos necessários para esse aprendizado.
  • O Google Analytics 4 não oferece suporte às páginas AMP (Accelerated Mobile Pages). Elas já estão entrando em desuso, porque não representam mais uma vantagem em SEO. Mas ainda existem muitas empresas utilizando AMPs que precisam repensar suas páginas mobile.
  • Como as métricas do Universal Analytics e do Google Analytics 4 são diferentes, você deve perder as integrações de relatórios com outras ferramentas, como Data Studio, Power BI, Tableau e outras. Portanto, você vai precisar refazer essas integrações.
  • Mais uma vez, como as métricas são diferentes, não vai ser possível migrar o histórico de dados de uma versão para a outra. Isso significa que não vai mais ser tão simples fazer comparações ano vs. ano ou outras análises do histórico pela ferramenta.

Cuidados para migrar o Google Analytics sem problemas

O Google Analytics 4 ainda é uma ferramenta em construção. Embora o Google esteja anunciando a mudança definitiva, ainda há muitos ajustes a serem feitos. Por isso, ainda não confie cegamente na ferramenta.

Vale a pena ter cautela na migração. Afinal, estamos falando de dados valiosos para a sua empresa, que você não quer perder. Então, veja algumas dicas para evitar problemas nesse processo:

  • A ferramenta não vai permitir a migração do histórico de dados do Google Analytics tradicional para o GA4. Por isso, o ideal é começar a usar a nova versão o quanto antes, a fim de já construir um histórico de dados até a migração definitiva.
  • Enquanto você tiver a possibilidade de manter as duas propriedades ativas (a antiga e a nova), faça isso. Dessa maneira, enquanto você se adapta ao Google Analytics 4 e faz testes na ferramenta, a versão clássica segue coletando os dados do seu site normalmente.
  • Exporte os dados do Universal Analytics e faça um backup para não correr o risco de perder o histórico quando essa versão for descontinuada. Reúna a sua equipe de dados para definir um plano de salvamento dos dados.
  • Treine a equipe para saber usar o Google Analytics 4. Algumas mudanças são sutis, enquanto outras são substanciais. Por isso, a ferramenta vai demandar uma curva de aprendizado para explorar o seu potencial. Então, com treinamentos, você pode acelerar esse conhecimento.

Desde que o Google anunciou mudanças na ferramenta, muitas pessoas resistiram à mudança. Afinal, foram quase 10 anos convivendo com o Universal Analytics, como um grande parceiro da inteligência de marketing. Porém, a partir de 2023, não vai mais ter escapatória, e as empresas vão precisar adotar a nova versão.

Por isso, comece agora a entender melhor o Google Analytics 4 e como migrar as suas propriedades para a nova versão. Embora não esteja totalmente aprovada pela comunidade, essa ferramenta tende a trazer dados e análises mais ricos e relevantes para o seu negócio.

Agora, saiba que você pode contar com uma agência especializada em marketing digital para fazer essas configurações com segurança e aproveitar melhor os dados do Google Analytics 4.

Entre em contato

CONDOMÍNIO SUNSHINE DRIVE
Av. Lucio Costa, 9500, Alfa Barra 2 – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro, RJ